Idiomas

  • Diminuir tamanho do texto
  • Tamanho original do texto
  • Aumentar tamanho do texto

PPGICS | Pós-Graduação:Informação e Comunicação em Saúde

Programa de Pós-Graduação em Informação e Comunicação em Saúde

Início do conteúdo

Projetos de pesquisa

Os Sentidos do Câncer: um estudo sobre sofrimento, mídia e narrativas biográficas

A vivência da doença ou do sofrimento representa uma das áreas mais críticas da experiência humana. Ainda que universal, as formas como as sociedades conceituam , interpretam e reagem às patologias variam segundo os contextos históricos e sócio-culturais. Diversos autores apontam a presença da lógica do risco e da medicalização nas modernas sociedades urbanas, nas quais a doença é cada vez mais presente e reconfigura as formas de estar no mundo: os processos de subjetivação, a relação com a temporalidade e a ação humana. Esse projeto tem como objetivo investigar, à luz dessas questões, como se constroem os sentidos do câncer a partir de três perspectivas distintas: do doente, do especialista e da mídia. A questão dos meios de comunicação assume relevo na medida em que se reconhece seu lugar transversal nas sociedades contemporâneas, permeando os processos sociais em um momento que alguns designam como a passagem das sociedades dos meios para sociedades em vias de midiatização. É nesse contexto que se buscará identificar os processos de subjetivação envolvidos, bem como os sentimentos relacionados à experiência da doença, identificando a comunicação dessas emoções a partir das lógicas instituídas: suas formas narrativas e as possíveis ligações entre as dimensões éticas e estéticas. Para tal, será feito um trabalho de campo em uma instituição de tratamento oncológico, seguido de entrevistas de histórias de vidas e semi-estruturadas (com doentes e especialistas, respectivamente). Paralelamente, será realizada uma pesquisa privilegiando dois veículos de grande circulação no país (Veja e O Globo) entre os anos de 2012 e 2013. Ao conjugar essas esferas de investigação - doentes, médicos e mídia não se está buscando uma correlação mecânica entre elas, mas traçar possíveis aproximações, distinções e interrelações, compreendendo suas complexidades no circuito mais amplo no qual a construção social dos sentidos ocorre.

Coordenador do Projeto:

Voltar ao topoVoltar